A SouDessas chegou em um momento importante da minha vida e com ela eu aprendi muito. Apesar de estar conectada com o mercado de moda desde 2009, eu nunca pensei em produzir lingeries, até receber o convite de Maria Brasil, hoje, uma amiga de alma.
A primeira conversa que tivemos foi em novembro de 2017. Lembro como se fosse ontem: o restaurante, as ideias iniciais, o entusiamo. Passamos o ano novo juntas, em março começamos um curso de modelagem e em abril viajamos para São Paulo para começar a nossa jornada, sem imaginar que tudo daria certo, de um jeito muito diferente do que imaginávamos.
Não é fácil produzir lingeries fora dos grandes polos do ramo: falta mão de obra especializada, são necessárias máquinas específicas e nós que não tínhamos conhecimento na área, fomos aprendendo na experiência - acertos, erros, muitos erros.
Em junho de 2018, finalmente colocamos as lingeries no mercado de Salvador. Agora, escrevendo esse texto e lembrando de todos os trancos e barrancos que passamos, dá vontade de rir, mas na época foi desesperador. Estávamos desgastadas e com expectativas frustradas.
Pouco mais de um mês depois das lingeries estarem na loja e vendendo, liguei pra Maria. Ela já sentia: ela, de frente pro mar, e eu da varanda de casa, tivemos uma conversa emocionante.
Eu não queria mais seguir com a SouDessas e estávamos em sintonia. Ela concordou e seguimos, cada uma com seus projetos em paralelo à SouDessas. Ela com a Essence Branding e eu com o Modera. Seguimos, também, com uma amizade ainda mais forte.
Um ano depois, nos juntamos profissionalmente mais uma vez e continuamos conectadas com o propósito que tínhamos com a SouDessas: desconstruir padrões para construir mulheres mais livres. E, através do Instituto Essência, realizamos um curso de formação para as mulheres no Complexo Penitenciário de Mata Escura, plano que tínhamos desde o início da SouDessas.
Uma história de empreendedorismo, propósito e amor.

You may also like

Back to Top