O que é consumo consciente

O termo “consumo consciente” virou moda. Vamos compreender o que ele quer dizer para não deixarmos que o seu significado se perca em discursos e atos rasos e equivocados?

Consumo consciente não é simplesmente sobre comprar menos e, muito menos, sobre comprar barato. Comprar menos é consequência dos questionamentos que levantamos diante do consumo. E o preço de um produto deve refletir valores justos pelos serviços prestados em sua produção. Consumo consciente também não é apenas sobre questões ambientais ou relacionado exclusivamente ao mercado da moda.

Consumo consciente é sobre buscar compreender todas as camadas que envolvem produção e consumo: o impacto que indústria causa na natureza e na vida de todas as pessoas, os valores e práticas das empresas que nos relacionamos, a forma que cuidamos dos objetos que temos, os motivos que nos leva a comprá-los e, por fim, o destino que damos ao que não iremos mais usar.

Parece complexo e, mergulhando a fundo nesse universo, é mesmo! Mas, um pouquinho de interesse pelo assunto é suficiente para repensarmos os nossos hábitos e o primeiro passo para transformarmos o nosso comportamento. Por isso também usamos o termo “consumo responsável”.

O dinheiro que investimos em um produto não está pagando o produto em si, mas sustentando toda a sua operação, desde a extração da matéria prima e mão de obra, até chegar a nós. O que significa que, ciente ou não sobre cada etapa e como ela acontece, estamos financiando as práticas adotadas pelas empresas envolvidas em cada processo. Mas, será que os valores dessas empresas são semelhantes aos nossos valores?

Consumo consciente e responsável é o ato de consumir tendo conhecimento do mercado para além do que os centros comerciais apresentam. É reconhecer a importância das nossas escolhas e os impactos que elas geram para escolher bem, fazer durar e reduzir os dados! Afinal, comprar também é um ato político!

Então, eu pergunto: o que as últimas três compras que você fez podem dizem sobre o mundo que você deseja viver? Vale (re)pensar…

Sobre Amanda Dragone

Designer de Comunicação e Empreendedora. Co-fundadora do Modera Brechó e da Relúpio - Social Branding.